festivaldasustentabilidade | Aproveitar 100% da água da casa é possível!
15487
post-template-default,single,single-post,postid-15487,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive
 

Aproveitar 100% da água da casa é possível!

Aproveitar 100% da água da casa é possível!

A permacultura pode estar presente em qualquer lugar, basta perceber como o meio se manifesta.

No imóvel adquirido por Tomaz Lotufo em São Paulo, a ideia era não destruir algo que já havia sido construído. Mas era preciso dar vida ao lugar, então como fazer?
A questão principal era fazer com que a água fosse presente. Na faculdade, ele aprendeu a desenhar
uma calha, depois um condutor de água e em seguida uma flecha escrito “rua”, ou seja: no suposto
esboço que Tomaz aprendera, existiria um território onde a água seria absorvida, mas logo depois
descartada.
O desafio: 100% da água teria que ficar na casa.
Fora construída uma cisterna de 5 mil litros, a garagem fora removida e uma série de bananeiras e
hortaliças foram plantadas. Nos fundos da casa, fora feita uma espécie de horta, na frente, um
pomar. O telhado da casa, projetado para que a água caísse em uma área central onde seria
recolhida e iria para a cisterna. A água cinza da casa – chuveiro, pia e máquina de lavar – seria

tratada biologicamente numa cobertura da área social e essa água tratada é encaminhada ou pro
pomar ou pro canteiro de hortas.

Há uma parte social embaixo e em cima, uma parte íntima com telhados verdes, a água é tratada
nessas coberturas vivas e vai pros canteiros, veja as plantas da casa:

Na foto abaixo, é possível ver uma das coberturas plantadas onde a água cinza recebe tratamento e
depois vai pra uma lagoa onde há peixes.

Ao fim do processo, esta é a aparência da água:

Seguem as fotos da cozinha e do recuo iniciais da casa:


O recuo foi aberto e transformado em cozinha, nos fundos foi feita uma obra que recebe a água
cinza, há também na casa um fogão à lenha usado para aquecer a água, a casa e cozinhar.
Abaixo é possível observar a nova cozinha:

Existem técnicas que permitem reduzir o uso de matéria-prima, a utilização de arcos – que pode ser
vista na foto acima – é uma delas. Quando se trabalha com arcos de tijolos, evita-se usar uma
estrutura de concreto armado que demanda muita matéria-prima para ser trabalhada.
Todo o espaço que foi reestruturado da casa, foi transformado em arco para evitar as vigas de
concreto armado. Todos os materiais retirados foram reutilizados na própria construção, são
exemplos o madeiramento, os tijolos dos arcos, o piso, e também um deck feito com caibro da casa.
Tudo isso a tornou mais permeável.

No Comments

Post A Comment