Não há dúvidas de que as PANCS (Plantas Alimentícias Não Convencionais) estão na moda. O dente-de-leão, a ora pro nobis e o jambu deixaram o injusto título de pragas e caíram nas graças de chefs renomados como Alex Atala e Teresa Corção. O termo, se refere ao universo de plantas que possuem propriedades nutricionais, mas por questões mercadológica acabam não sendo comercializados, embora sejam, em geral, plantas de fácil propagação, resistentes e nutritivas.

A chef e fundadora da empresa PANCS Brasil, Clarissa Taguchi, eleva essas plantinhas espontâneas ao status de alta gastronomia. Escondidinho de coração de banana ao alho bravo, sopa missô com botão de ouro e mentruz e arroz vermelho com picão são exemplos de quitutes preparados pela chef. No site do PANCS Brasil é possível comprar maioneses vegetais temperadas com PANCS, molhos e azeites feitos com ingredientes não convencionais e orgânicos.

As PANCS são plantas que crescem de maneira espontânea e são muito mais adaptadas do que as espécies convencionais. Por causa disso apresentam vantagens nutricionais em relação às hortaliças tradicionais. Além disso, o incentivo do uso de PANCS na alimentação garante a preservação da agrobiodiversidade. No Brasil, por exemplo, existem mais de 10 mil espécies nativas com potencial de uso alimentício. Apesar disso, dados recentes mostram que 90% do alimento mundial vem de apenas 20 espécies.

Aprender sobre PANCS e utilizá-las na alimentação é um ato político, um movimento pela diversidade e pela saúde! Durante o Silabas, o Simpósio Latino Americano de Bioarquitetura e Sustentabilidade, que ocorrerá entre os dias 07 e 10 de Setembro, em Nova Friburgo, RJ, durante o Festival da Sustentabilidade, Clarissa Taguchi estará presente falando sobre as PANCS e apresentando as aplicações culinárias dessas plantas rústicas e saborosas em uma palestra e um workshop que estão a venda com preços super promocionais , nos dias 09 e 10 respectivamente.