Uma Arquitetura sem muros. Esse é o paradigma proposto pelo arquiteto Tomaz Lotufo em seu trabalho e pesquisa de mais de uma década nas áreas de Bioconstrução e Permacultura. A chamada Arquitetura Apropriada, aproxima as pessoas das técnicas e torna possível sua apropriação e reprodução. A busca por uma prática que integre, que não seja exclusividade de engenheiros e arquitetos é o princípio que conduz seus ensinamentos e obras.

Lotufo também aponta para a urgência dos princípios de sustentabilidade aplicados ao ambiente urbano. É possível e desejável construir edifícios mais sustentáveis. A reapropriação de técnicas tradicionais de construção, o uso de materiais de demolição e ecológicos e a aplicação de princípios da Permacultura, como a captação e armazenamento de energia, são perfeitamente aplicáveis ao contexto urbano.

A casa onde vive com sua família reflete bem estes princípios. Projeto de sua autoria, a Casa Viva (São Paulo, 2012) lançou mão de alternativas de baixo impacto ambiental, como o tratamento das águas cinzas (chuveiro, pias e cozinha) e técnicas construtivas que resultam em economia de recursos, como a utilização de arcos, que suportam o peso da estrutura, dispensando o uso de vigas de concreto. (Assista aqui o vídeo produzido pela Habitar sobre a Casa Viva)

Tomaz Lotufo é presença garantida no Silabas, o Simpósio Latino Americano de Bioarquitetura e Sustentabilidade, que ocorrerá entre os dias 07 e 10 de Setembro, em Nova Friburgo, RJ, durante o Festival da Sustentabilidade!

Participe:  http://festivaldasustentabilidade.com.br/silabas/